Técnico em Enfermagem

TÉCNICO DE ENFERMAGEM

A habilitação Técnica de Nível Médio em Enfermagem – Eixo Tecnológico Ambiente e Saúde, de acordo com o Catálogo Nacional de Cursos Técnicos instituídos pela Resolução CNE/CEB n°03/08, fundamentados no Parecer CEN/CEB n° 11/08, alterado pela Resolução CNE/CEB n° 4/2012 de 06/06/2012, atendendo ao disposto na Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional (LDB) – Lei Federal n° 9.394/96, ao Decreto Federal n° 5.154/04, na Resolução CNE/CEB 06/2012, que dispõe sobre as Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação Profissional de Nível Técnico, e as deliberações do CEE do Estado do Espírito Santo e demais normas que regulamentam o sistema de ensino.
Atende, também, ao disposto na Lei Federal n° 7.498/86, regulamentada pelo Decreto n° 94.406/87 que disciplina o exercício profissional da Enfermagem, como do Técnico de Enfermagem, sujeito ao registro prévio no respectivo Conselho Regional de Enfermagem; na Resolução COFEN n° 371/2010 que dispõe sobre o estágio curricular supervisionado e nas demais normas do COFEN/COREN-ES.

JUSTIFICATIVA

Incorporando as inovações decorrentes dos avanços científicos sociais e tecnológicos do segmento da saúde, assim como analisando aspectos da enfermagem contemporânea que se pauta na valorização do conhecimento técnico, tecnológico-científico para além das habilidades práticas e de um mercado que aponta para um cenário promissor com novos nichos de atuação profissional com grandes investimentos privados e públicos, na saúde.
O trabalho de enfermagem é realizado por diferentes categorias de trabalhadores e o cenário atual demanda por profissional com maior qualificação técnica para elevar a qualidade na assistência.
A tendência global de crescimento na área da saúde impulsiona movimentos de acreditações dos estabelecimentos de saúde, fenômenos de desospitalização, políticas públicas de atenção a saúde nos diversos níveis e de iniciativas como da ANVISA e da Organização Pan-Americana da Saúde para melhoria da segurança do paciente nos serviços de saúde. Esta dinâmica justifica a formação de Técnicos de Enfermagem considerando que a enfermagem representa 40% dos trabalhadores da saúde segundo estudo da Fiocruz e junto com os médicos, representam em torno de 70% da força de trabalho em Saúde que opera no SUS, de acordo com a Pesquisa da Enfermagem do Brasil.
Alinhado aos princípios norteadores, voltando para a promoção, a prevenção e a ass istência à saúde da população em geral, este curso adota a ideia de saúde como condição de cidadania que deve assegurar mais e melhores anos à vida das pessoas, apontando especificidades para os trabalhadores da área e reafirmando a necessidade do compromisso destes com uma concepção de saúde que transcende à visão setorial e diversifica os seus campos de prática profissional.


OBJETIVOS

O curso Técnico de Enfermagem da Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Alegre tem como objetivos:

  • Desenvolver conhecimentos e habilidades para o exercício profissional;
  • Possibilitar o desenvolvimento de competências básicas para a auto realização e para o exercício da cidadania;
  • Inserir no mercado de trabalho, profissionais qualificados e competentes para atuar nos diversos campos de prestação de serviços do Técnico de Enfermagem;
  • Atender a demanda do mercado de trabalho local e regional oferecendo profissionais: responsáveis, competitivos e criativos;
  • Acompanhar a tendência do mercado, oferecendo profissionais aptos e receptivos aos avanços científicos e tecnológicos mais eficientes e seguros, na prática da profissão, atingindo objetivos fins com segurança;
  • Propiciar condições para o desenvolvimento das competências profissionais da habilitação técnica de nível médio, definidas a partir da análise do processo de trabalho da enfermagem, respeitando valores estéticos, políticos e éticos, mantendo compromisso com a qualidade do trabalho, com a ciência, a tecnologia e as práticas sociais relacionadas aos princípios da cidadania responsável.

REQUISITOS E FORMA DE ACESSO

O Curso Técnico de Enfermagem destina-se a pessoa interessadas sem que haja necessidade de ter desenvolvido competências e habilidades anteriores específicas na área.
Em decorrência da complexidade das bases tecnológicas, faz-se necessário que, no ato do ingresso:

  • O candidato tenha idade mínima de 18 anos completos no ato da matrícula;
  • Comprove possuir o Ensino Médio completo;

O candidato deverá também apresentar:

  • Requerimento de matrícula;
  • 02 (duas) fotos 3x4 recentes;
  • Comprovante de escolaridade;
  • Contrato de matrícula assinado quando maior de 21 anos de idade ou contrato de matrícula assinado pelo responsável, quando menor de 21 anos de idade;
  • Cópia da Certidão de Nascimento ou Casamento;
  • Cópia da Carteira de Identidade;
  • Cópia do CPF;
  • Cópia do Título Eleitor com comprovante de votação na última eleição, para maiores de 18 anos;
  • Cópia do Certificado de Reservista, quando do sexo masculino e com idade entre 18 e 45 anos;
  • Cópia de comprovante de residência;

As inscrições para o curso serão efetuadas em datas determinadas pela instituição, respeitando o número de vagas existentes para o curso e seus itinerários e os requisitos de acesso estabelecidos pela FAFIA, na forma da legislação vigente. As matrículas serão efetuadas nos termos regimentais.
Para início e prosseguimento no curso, o aluno deverá atender as seguintes condições:

MÓDULOS PRÉ-REQUISITOS
Módulo I: Sem terminalidade Ter efetuado a matrícula em tempo oportuno.
Módulo II: Sem terminalidade Ter concluído o módulo I com aprovação em todas as disciplinas.
Módulo III: Habilitação Profissional do Técnico de Enfermagem Ter obtido aprovação em todas as disciplinas do módulo I e II e ainda ter realizado toda carga horária de estágio indicada para o módulo anterior.

 

PERFIL PROFISSIONAL DE CONCLUSÃO DOS EGRESSOS DO CURSO

O perfil profissional de conclusão do Curso de Educação Profissional Técnico de Nível Médio em Enfermagem, da FAFIA, está descrito de acordo com o CBO (Classificação Brasileira de Ocupações, do TEM – Ministério do Trabalho e Emprego), com a Resolução CNE/CEB n° 3, de 9 de julho de 2008 e com as demandas da sociedade contemporânea, articuladas com as tendências econômicas, de mercado e de regulamentação profissional.
Tendo em vista a responsabilidade que recai sobre os profissionais na área da Saúde, o Técnico de Enfermagem, deverá apresentar formação autêntica e qualificada. O conteúdo apresentado para cada disciplina é o mínimo indispensável devido ás características da própria atividade que exige profissionais de qualidades pessoais e humanas muito específicas, além de capacidade e aptidão bem delineadas. É preciso, ainda, que o estudante deste curso seja conscientizado que é um profissional com uma concepção holística da saúde que se enquadra na área de abrangência da integração terapêutica preconizada pela Organização Mundial de Saúde. Dessa forma, é o profissional da Saúde com competência para atuar sob supervisão do Enfermeiro, auxiliando em todos os serviços de saúde, executando tarefas compatíveis com as exigências para o exercício da função.
Para atender as exigências educacionais demandadas pelo mundo do trabalho, os profissionais desta área, deverão receber uma formação ampla, constituída por competências gerais e específicas que lhe permitam atuar de forma ética e responsável, acompanhando as transformações da área.

PERFIL PROFISSIONAL DO TÉCNICO DE ENFERMAGEM

Ao final do Módulo III – Habilitação Técnico de Enfermagem – o aluno deverá estar apto a:
• Exercer as atividades auxiliares, de nível médio técnico, atribuídas à equipe de Enfermagem, bem como:
• Assistir ao Enfermeiro:
a) no planejamento, programação, orientação e supervisão das atividades de assistência de Enfermagem.
b) na prestação de cuidados diretos de Enfermagem a pacientes em estado grave.
c) na prevenção e controle das doenças transmissíveis em geral e em programas de vigilância epidemiológica.
d) na prevenção e controle sistemático da infecção hospitalar.
e) na prevenção e controle sistemático de danos físicos que possam ser causados a pacientes durante a assistência de saúde.
f) na participação nos programas e nas atividades de assistência integral à saúde individual e de grupos específicos, particularmente daqueles prioritários e de alto risco e nos programas de higiene e segurança do trabalho e de prevenção de acidentes e de doenças profissionais e do trabalho.
• Integrar a equipe de saúde;
• Executar atividades de assistência de Enfermagem, conforme normas do Conselho Federal de Enfermagem (COFEN);
• Participar de atividades de educação em saúde.

ORGANIZAÇÃO CURRICULAR

A organização curricular do curso está construída em módulos, como importante instrumento de flexibilidade, facilitando o itinerário profissional, a fim de adaptar-se às realidades dos alunos no atendimento de preconceitos legais, mantendo a unidade do curso e a equivalência de todo o processo formativo.
Na organização de cada módulo a terminalidade corresponde a qualificação profissional do nível técnico identificado no mercado de trabalho.
Essa estrutura curricular, resultante dos diferentes módulos, estabelece em cada um, os tipos de itinerários formativos que devem certificar a qualificação profissional.
Os módulos são organizações de conhecimentos, constituídos das principais e especificas competências necessárias ao perfil do profissional. Cada módulo indica também as habilidades que se pretende desenvolver acompanhadas de uma base tecnológica que contribui na organização dos saberes provenientes de distintos campos disciplinares e através de outras atividades teóricas e práticas em função do que se propõe oferecer para a formação do Técnico de Enfermagem.
Os módulos são organizações de conhecimentos, constituídos das principais e específicas competências necessárias ao perfil do profissional. Cada módulo indica também as habilidades que se pretende desenvolver acompanhadas de uma base tecnológica que contribui na organização dos saberes provenientes de distintos campos disciplinares e através de outras atividades teóricas e práticas em função do que se propõe oferecer para a formação do Técnico de Enfermagem.
O Módulo I será concluído com 400 (quatrocentos) horas/aulas em processos considerados básicos e um conjunto de formação de competências e atividades alternativas, contribuindo também na formação das habilidades. Da mesma forma está contemplando o Módulo II, com 400 (quatrocentos) horas/aulas e o Módulo III com 400 (quatrocentos) horas/aulas, que interligados somam-se 1.200 horas, para habilitação do Técnico de Enfermagem congregando atividades teóricas e práticas.
O estágio supervisionado está organizado com 600 (seiscentas) horas, que somando as atividades teóricas e práticas perfazem um total de 1.800 horas/aulas para o curso.
A estrutura curricular completa:


Módulo I – 400 horas/aulas (teoria/prática)
• Sem Terminalidade
Módulo I + Módulo II – 400 h/a (teoria/prática)
Módulo I + Módulo II – 300h (estágio)
• Sem Terminalidade
Módulo I + Módulo II + Módulo III – 400 h/a + 400 h/a (teoria/prática)
Módulo II + Módulo III – 300 h/a + 300 h/a = 600 horas = 600h (estágio)
• Habilitação Profissional em Técnico de Enfermagem.

MÓDULOSPRÉ-REQUISITOMódulo I: Sem terminalidadeTer efetuado a matrícula em tempo oportuno.Módulo II: Sem terminalidadeTer concluído o módulo I com aprovação em todas as disciplinas.Módulo III: Habilitação Profissional do Técnico de EnfermagemTer obtido aprovação em todas as disciplinas do módulo I e II e ainda ter realizado toda carga horária de estágio indicada para o módulo anterior.

 

Entre em contato

FAFIA - Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Alegre.
Rua Belo Amorim, nº 100 - Alegre/ES - 29500-000
CNPJ:  27.069.871/0001-18
  • Telefone: (28) 3552-1412
CNPJ: 27.069.871/0001-18